quarta-feira, outubro 31, 2012

Ameaça à paz de improvável materialização (na íntegra)

Pesquisa e análise
 
1 . As autoridades moçambicanas, em geral, adoptaram uma atitude cautelosa na “gestão” da situação criada pela decisão do líder da Renamo, Afonso Dhlakama de reactivar na Gorongosa, Sofala, meados de Out (AM 703), uma das mais simbólicas bases do movimento, enquanto força de guerrilha, para a qual o próprio se transferiu.
A prudência das autoridades, que supostamente também compreende discretas iniciativas destinadas a demover A Dhlakama do seu propalado propósito de reabrir a antiga base e se fixar na mesma, é remetida para 2 factores em especial:
- Não dar azo a uma deterioração da situação – o que poderia acontecer por efeito de acções tendentes a exacerbar correntes internas mais radicais da própria Renamo, capazes de se sobrepor a A Dhlakama
- Preservar a boa imagem de Moçambique no plano da estabilidade interna, social e política– e por via disso garantir apoios e simpatias externas fundamentais.
A decisão de A Dhlakama, vista como uma ameaça à paz, constituiu uma escalada nas manifestações de protesto que o mesmo vem fazendo nos últimos anos contra alegadas iniquidades/desigualdades com que a Renamo tem sido tratada pelo regime da Frelimo na aplicação do AGP de 1992 e também como partido da oposição.
A prudência das autoridades (silêncio, é o principal afloramento), também é devida ao facto de o líder da Renamo ter granjeado, interna e externamente, a reputação de parceiro cooperante e fiável da Frelimo no processo de paz e de ter razão nas suas críticas a aspectos da realidade política que considera lesivos do seu partido. Acusações sistemáticas da Renamo segundo as quais o Estado está partidarizado pela Frelimo e a riqueza concentrada numa elite político-económica do “establishment”, são amplamente partilhadas em meios internos e externos. A lei eleitoral, cuja revisão A Dhlakama veemente reclama, também é considerada desequilibrada. Uma crise séria entre o Governo e a Renamo também seria particularmente danosa para o Presidente Armando Emílio Guebuza (AEG), que reforçou os seus poderes (AM 699) no recente congresso da Frelimo. A Dhlakama diz em público que manteve com o ex-Presidente, Joaquim Chissano, um diálogo mais salutar do que com AEG.

2 . A atitude de A Dhlakama, que o próprio e outros dirigentes da Renamo têm até agora enfaticamente desligado de qualquer intenção de retorno à guerra, tem sido objecto de apreciações consideradas benevolentes da parte de personalidades e meios próximos da Frelimo, que, simultaneamente sugerem sensatez ao regime. O fenómeno é aparentemente impelido pela ideia generalizada de que a Renamo e A Dhlakama têm sido objecto de tratamento considerado parcial e discriminatório por parte da Frelimo e do regime – em desarmonia com aquilo que o senso comum julga ter sido a sua contribuição positiva para o processo de paz. Lourenço do Rosário, reitor da Universidade Politécnica, presentemente considerado “afecto” ao regime (antes passava por ser um intelectual politicamente independente), foi uma das personalidades que denotou (entrevista ao Savana), compreensão face à atitude de A Dhlakama (apesar de parcialmente emendada a posteriori). Salomão Moyana e Tomás Vieira Mário, analistas da STV, ambos igualmente conotados com o regime, fizeram apelos a favor de um “tratamento condigno” para A Dhlakama e seus seguidores, como parceiros para a manutenção da paz, reconhecendo haver o risco de “extremistas militares da Renamo se sobreporem” ao líder. Entre as discriminações de que a Renamo se considera vítima (em comparação com a Frelimo, ambas como parte do AGP), a mais concludente é a da assistência prestada aos desmobilizados das FADM erguidas na esteira do acordo. Os efectivos oriundos da Renamo estão ao abandono, alguns dos quais em situação considerada deplorável.

3. Entre os predicados que A Dhlakama revelou como parceiro do regime no processo de paz e reconciliação, considerando-se que deve por isso ser cativado e não marginalizado, é valorizada a sua moderação e equilíbrio, bem como o facto de, apesar de cíclicos episódios de contestação interna, manter intacta a sua aura de líder. O prestígio e a autoridade que A Dhlakama é particularmente notório entre os antigos comandantes militares da Renamo, muitos dos quais são mais contundentes na apreciação que fazem da situação em que se encontram e menos propensos a uma convivência com a Frelimo – motivo de veladas críticas a A Dhlakama.

4 . São verificadas informações no sentido de um reforço militar e policial governamental no Inchope, a meio caminho do local onde se supõe que A Dhlakama se tenha internado com os seus apaniguados, embora haja indicações de que o núcleo inicial já se desdobrou para outras zonas.
O séquito inicial de A Dhlakama, ca 800 h, já se terá elevado para 3.000 h; muitos passaram a envergar uniformes novos e todos estão ocupados com treino/apuro militar. O “pressentimento”de uma aventura militar próxima exerce atracção em vastos meios descritos como política e socialmente “descontentes” da população.
Nos últimos dias missões militares de Moçambique e do Zimbabué trocaram visitas mútuas. O T/Gen Valerio Sibanda, comandante do Exército do Zimbabué, esteve na última semana em Moçambique. Imediatamente antes, o comandante do Exército de Moçambique, M/Gen Eugénio Mussa, tinha estado no Zimbabué.
Apesar de se tratar de visitas marcadas antes da manifestação da crise actual e de se situarem no campo da cooperação bilateral, que contempla áreas sensíveis como a troca de informações e realização de exercícios conjuntos, ocorreram em momentos em que o assunto terá concitado atenções dominantes.
É improvável, porém, que uma deterioração da actual crise ou o seu arrastamento, venham a levar o Governo a recorrer à força para “restabelecer a soberania” na zona “usurpada”.As movimentações em curso, incluindo rumores como o concurso de especialistas sul-africanos, parecem fazer parte de uma manobra de persuasão activa.
À atitude da Renamo é aplicado um princípio equivalente. Por falta de condições gerais, militares e outras, não tem planos para se lançar numa aventura militar – que também sacrificaria o seu capital político. A ilação corrente é a de que agita tal cenário como um instrumento superior

AFRICA MONITOR In Mocambique para todos – 3O.10.2012

PROJECTO DE LEI ELEITORAL DEVOLVIDO ÀS CHEFIAS DAS BANCADAS

A sessão plenária da Assembleia da República (AR), o parlamento moçambicano, concedeu hoje um prazo de uma semana às chefias das três bancadas com assento na magna casa para sanarem as “poucas mas profundas divergências” em torno do projecto de revisão da legislação eleitoral.

Aumento do preço dos transportes públicos em Maputo provoca alertas sobre eventuais manifestações

O aumento do preço dos transportes públicos em Maputo, que deverá vigorar a partir de quinta-feira, está a suscitar apreensão na capital de Moçambique, com diversas mensagens a alertarem para possibilidade de eclosão de protestos.

Nova página ou site do MDM

Eis o novo síte do MDM - Movimento Democrático de Moçambique.

Ameaça à paz de improvável materialização

Pesquisa e análise


1 . As autoridades moçambicanas, em geral, adoptaram uma atitude cautelosa na “gestão” da situação criada pela decisão do líder da Renamo, Afonso Dhlakama de reactivar na Gorongosa, Sofala, meados de Out (AM 703), uma das mais simbólicas bases do movimento, enquanto força de guerrilha, para a qual o próprio se transferiu.

A prudência das autoridades, que supostamente também compreende discretas iniciativas destinadas a demover A Dhlakama do seu propalado propósito de reabrir a antiga base e se fixar na mesma, é remetida para 2 factores em especial:
- Não dar azo a uma deterioração da situação – o que poderia acontecer por efeito de acções tendentes a exacerbar correntes internas mais radicais da própria Renamo, capazes de se sobrepor a A Dhlakama
- Preservar a boa imagem de Moçambique no plano da estabilidade interna, social e política– e por via disso garantir apoios e simpatias externas fundamentais. Ler mais

Jovens chamam antigos presidentes para debater democracia e futuro de África

Há um movimento nacional também liderado pelo Parlamento Juvenil de preparação do manifesto político da juventude para as eleições de 2013 e 2014.
A Cidade de Maputo acolhe, entre os dias 10 e 14 de Dezembro do ano em curso, a conferência Africana da juventude sobre democracia e boa governação no continente. Trata-se de uma conferência que vai juntar antigos chefes de estado africanos e jovens líderes oriundos de países africanos. São mais de 200 delegados até agora confirmados pela organização. Ler mais (O País)

terça-feira, outubro 30, 2012

Curandeiros acusados de envenenar 16 pessoas da mesma família em Moçambique

Dezasseis pessoas da mesma família foram alegadamente envenenadas por dois curandeiros, que lhes deram uma substância tóxica para a "resolução de uma discórdia familiar", na província de Nampula, norte de Moçambique, disse hoje a polícia.

FEMATRO suspende carreiras para Nkobe

AS viaturas de 75 lugares da Federação Moçambicana dos Transportadores (FEMATRO) suspenderam ontem as carreiras para o bairro Nkobe, a partir de diversos pontos da capital, alegando a precariedade da via de acesso àquela área residencial.

RAS/ LIGA JUVENIL EXIGE DETENÇÃO DE CYRL RAMAPHOSA

A Liga Juvenil do Congresso Nacional Africano (ANCYL) exigiu, segunda-feira, à detenção do empresário sul-africano e membro do Comité Executivo Nacional (NEC) do partido no poder na África do Sul, Cyril Ramaphosa, pelo seu alegado envolvimento na tragédia de Marikana, ocorrido em Agosto último, e que resultou na morte de 44 mineiros quando reivindicavam melhores salários.

Vozes “sonantes” já dizem que oposição ainda não é alternativa…

Por Noé Nhantumbo

Engraçado, caricato?

Em 1975 a Frelimo estava preparada para assumir o poder?…


Beira (Canalmoz) - “Uma no cravo e outra na ferradura”? Há sinais de que alguns dos nossos intelectuais andam atrapalhados com os seus próprios pontos de vista e opiniões? Quando surpreendem pela positiva com posições inequivocamente a favor de Moçambique, logo em seguida são como que obrigados a retratar-se e avançar com proclamações preocupantes.

Ahmadinejad é impedido de visitar prisão de Evin

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, foi impedido neste domingo de visitar a prisão de Evin, no norte da capital Teerã, devido a ordens judiciais.
No início deste mês, Ahmadinejad anunciou que visitaria a penintenciária depois que um de seus assessores mais próximos foi preso e enviado para o local, onde cumpre pena. Ler mais

Da degradação do debate parlamentar à necessidade de compreensão ao líder da Renamo

Por: José Belmiro

1.É com muita preocupação que a cada sessão parlamentar testemunho a degradação do debate na Assembleia da República. O parlamento é, por definição, um espaço de debate e de questionamento. Entretanto, a bancada parlamentar da Frelimo tem estado a prestar um mau serviço ao povo moçambicano.
Este meu apontamento vem na sequência da ida do Governo ao parlamento para responder às perguntas dos deputados. O que se viu naquela magna casa foi tudo menos debate. A bancada parlamentar da Frelimo esforçou-se tanto para impedir os deputados da oposição de questionar e debater com o governo.

segunda-feira, outubro 29, 2012

DLAMINI-ZUMA CHOCADA COM REVELAÇÃO DE QUE UNIÃO AFRICANA DEPENDE DOS DOADORES

A presidente da Comissão da União Africana (UA), Nkosazana Dlamini-Zuma, expressou choque na sua primeira semana no cargo com a revelação de que os doadores ocidentais é que financiam quase todos os programas da organização.

Caso Dhlakama nas matas da Gorongosa

Contactos secretos podem estar a acontecer
- Fernando Mazanga, porta-voz da Renamo assegura, sem avançar pormenores, que há contactos entre as partes
- Manuel Bissopo não aceita abordar publicamente os possíveis contactos, alegadamente por ser um assunto sensível
O Governo do partido Frelimo e a maior força da oposição política moçambicana, a Renamo, podem estar em contactos secretos no sentido de ultrapassar, o mais rápido possível, o impasse que ainda prevalece em torno das reivindicações públicas que levaram Afonso Dhlakama a regressar às matas da Gorongosa.
Aliás, em relação a este assunto, Fernando Mazanga, porta-voz da Renamo, foi peremptório a confirmar o decurso do diálogo quando abordado pelo media mediaFAX.
“Contactos há sim, mas agora nada se pode avançar. Talvez para semana”– disse ele para depois aconselhar o media mediaFAX a abordar o Secretário Geral da Renamo, Manuel Bissopo. Ler mais

Guimino ataca corrupção em I'mbane: Três funcionários municipais sob investigação

O Gabinete Provincial de Combate à Corrupção em Inhambane iniciou a audição de três funcionários do município local, indiciados de corrupção e enriquecimento ilícito.

O dossier, entregue na última semana, arrola nomes de três funcionários, já suspensos, sobre os quais recaem fortes suspeitas de estarem a apropriarem-se do dinheiro da edilidade, através de esquemas fraudulentos.

Oposição não tem visão - Lourenço do Rosário

O académico Lourenço do Rosário, reitor de A Politécnica, opiniou numa palestra subordinada ao tema “Mecanismo Africano de Revisão de Pares (MARP) — Percurso e Desafios para Moçambique”, havida sexta-feira na Universidade Pedagógica, delegação da Beira, que os partidos da oposição moçambicanos não são ainda alternativa de governação do país.

domingo, outubro 28, 2012

Renamo vira costas ao Primeiro-Ministro e MDM acusa FRELIMO de agressões à oposição

O novo Primeiro-Ministro do governo moçambicano, Alberto Vaquina teve um baptismo de fogo no parlamento conhecendo pela primeira vez a fúria da oposição.
O principal partido da oposição a RENAMO abandonou a sessão parlamentar quando ele discursava no último dia da sua sessão de dois dias de resposta a perguntas dos parlamentares.

O outro partido da oposição ao Movimento Democrático de Moçambique, MDM, acusou por seu turno o partido no poder, a FRELIMO, de levar a cabo uma campanha de intimidação e agressão contra os seus oponentes.
O abandono dos deputados da Renamo foi provocado por desentendimento entre a Presidente da Assembleia, Verónica Macamo, e o relator da bancada parlamentar da Resistência Nacional de Moçambique, Saimone Macuiane...
O MDM afirma que Alberto Vaquina menosprezou a questão da perseguição dos membros da oposição. Ler mais (Voz da América)

China: Família do primeiro-ministro tem negócios chorudos

As autoridades chinesas responderam de imediato à extensa reportagem do New York Times bloqueando o acesso à sua página na internet e bloqueando também o acesso a buscas com o nome de Wen Jiabao ou New York Times num dos mais populares servidores de blogs da China.

A extensa reportagem do jornal, produto daquilo que foi obviamente uma longa e detalhada investigação, diz que muitos familiares de Wen Jiabao incluindo o seu filho, filha, irmão mais novo e cunhado tornaram-se extremamente ricos desde que este ascendeu aos postos mais altos da China o que começou em 1998 quando foi nomeado vice-primeiro-ministro.

Em muitos casos, diz o jornal, os nomes dos interesses empresariais dos seus familiares estão escondidos por detrás de parcerias e veículos de investimentos envolvendo amigos, colegas e parceiros empresariais. Ler mais

Regime angolano não é muito diferente de uma ditadura - Marcolino Moco

O que se passa em Angola não é muito diferente do que se passa em ditaduras, disse o antigo primeiro-ministro Marcolino Moco. Ler mais

sábado, outubro 27, 2012

Ainda o combustível impróprio: Chegar à verdade pode levar tempo

Baixou consideravelmente, na última semana, o número de viaturas que são rebocadas para as oficinas com problemas das bombas de gasolina, avarias originadas pela circulação de combustível inapropriado na primeira quinzena deste mês…Mesmo assim ainda falta apurar o que terá acontecido na cadeia de abastecimento daquele derivado no mercado e as autoridades pedem tempo para conduzir uma investigação mais profunda que não se esgota com o apuramento dos resultados das análises já encomendadas a um laboratório independente. Ler mais

Exercício da Cidadania

‎"Em África, o exercício da cidadania é confundida com uma acção inimiga e a resposta é sempre violenta. No partido Frelimo há gente que considera que a cidadania deve ser exercida, porém há outra que considera que o exercício da cidadania é uma acção do inimigo. Há que combater este tipo de mentalidade"- Professor Doutor Lourenço do Rosário, em entrevista ao Jornal Savana.

Não aceitem explicações fáceis e simplificadas sobre os megaprojectos…

Por: Noé Nhantumbo

  Senhores deputados façam o vosso “trabalho de casa”

 - Há muito em jogo e “muito pano para mangas” escondido…

Ir ao Parlamento, como habitualmente com despesas pagas pelos cidadãos do país, deve significar muito mais do que escutar, com ou sem atenção, o que os ministros dos diferentes pelouros têm para oferecer como respostas às perguntas dos deputados.
Tem sido habitual que os ministros correm a oferecer respostas simples de problemas complexos. Seus pareceres não resistem a uma análise apurada.
A tese de que os recursos minerais não vão resolver os problemas de Moçambique é uma resposta preparada para afugentar questionamentos profundos, incisivos e com potencial de despoletar ou desenterrar assuntos que se pretendem bem fora de circulação. Ler mais

Berlusconi é condenado a 4 anos de prisão por fraude fiscal na Itália

O ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi foi condenado nesta sexta-feira (26), em primeira instância, a quatro anos de prisão por fraude fiscal na aquisição de direitos televisivos para seu império audiovisual Mediaset, anunciou o Tribunal de Milão, no norte do país.
Berlusconi, que também foi proibido de exercer cargos públicos por três anos, foi julgado por aumentar artificialmente o preço dos direitos de difusão de filmes, comprados por empresas de fachada de sua propriedade e vendidos ao seu império audiovisual Mediaset, um sistema que permitia ao grupo reduzir os lucros na Itália e pagar menos impostos.
Neste processo, no qual outras dez pessoas foram julgadas, o tribunal condenou também os acusados a pagar 10 milhões de euros ao fisco italiano. Ler mais

ALFÂNDEGAS APREENDEM OURO AVALIADO EM CERCA DE 700 MIL DÓLARES

As Alfândegas de Moçambique apreenderam, no Aeroporto Internacional da Beira, 13,466 quilos de ouro fundido, cerca de 700 mil dólares e que estavam na iminência de serem traficados por um cidadão de nacionalidade libanesa.

A apreensão ocorreu na quarta-feira última, quando o referido cidadão pretendia viajar de regresso ao seu país, via Joanesburgo, na vizinha Republica da Africa do Sul Africa do Sul.

Renamo denuncia preparação de "ataque do Governo da Frelimo" à sua base na Gorongosa

A Renamo, principal partido da oposição em Moçambique, acusou hoje o governo de Maputo de "concentrar meios militares, com mercenários, para atacar" a sua base na Gorongosa onde, desde há uma semana, permanece o seu líder, Afonso Dhlakama.

Acoustic Africa: Afropean Women


sexta-feira, outubro 26, 2012

"Mas, em vez de aproveitar essa posição dialogante do MDM, a arrogante Frelimo tem feito tudo para também o esmagar"

Por Machado da Graça

Olá, Joaquim
Como estás tu, meu amigo? Do meu lado tudo bem, obrigado.
Mas, tal como todos os moçambicanos conscientes, muito preocupado.
O que se está a desenvolver na Gorongosa é um enorme risco para a paz no nosso país. Um enormíssimo risco.
Durante anos e anos a Frelimo e o seu Governo basearam-se nas declarações de paz de Dhlakama para fazerem todo o tipo de tropelias contra a oposição sem receio de que isso fosse um caminho de regresso à guerra. Só que, neste momento, a minha dúvida é sobre se ainda é Afonso Dhlakama que dirige a Renamo ou são já os seus generais. Porque, embora Dhlakama seja um mau político, é um político.

Líder comunitário acusa Governo e Vale de produzirem relatórios falsos

Arnaldo Roia, secretário do bairro Chipanga, disse na passada quinta-feira, que o Governo e a empresa Vale colocam nos relatórios nomes de pessoas alegando terem se beneficiado de alguma coisa, sem ser verdade, de acordo com o Canal Moz. O secretário ainda referiu que algumas das pessoas referidas nos relatórios não existem.

Alberto Vaquina treme, mas não cai!

Quando o primeiro-ministro, Alberto Vaquina, discursava ontem no Parlamento, a Renamo abandonou a sala do plenário no Parlamento, em protesto contra as respostas apresentadas pelo Governo aos deputados.

quinta-feira, outubro 25, 2012

Lourenço do Rosário diz que Dhlakama tem "legitimidade em algumas questões que reivindica"

O reitor da A Politécnica, a mais antiga universidade privada em Moçambique, Lourenço do Rosário, considera que Afonso Dhlakama, presidente da Renamo, principal partido da oposição, "tem legitimidade em algumas questões que reivindica".
 
Afonso Dhlakama instalou-se na semana passada na Serra da Gorongosa, centro de Moçambique, antiga base da Renamo, juntamente com centenas de ex-guerrilheiros do movimento, para pressionar o Governo da Frelimo a aceitar as suas exigências em negociações.

Bispos moçambicanos consideram despenalização do aborto "uma aberração ética" e condenam a bigamia

Os bispos católicos de Moçambique consideram a despenalização e legalização do aborto "uma aberração ética, destinada a promover a prática pelo desrespeito pela vida alheia" e uma forma de "aniquilar o património cultural" dos moçambicanos.

Assembleia Municipal de Maputo aprova aumentos dos transportes com efeitos imediatos

A Assembleia Municipal de Maputo aprovou hoje, "com efeitos imediatos", novos preços nos transportes de passageiros dos operadores privados, vulgo "chapas", e nos autocarros públicos do Estado.

Todos partidos políticos têm que respeitar a lei

Em resposta a uma pergunta da bancada do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) na AR, Alberto Vaquina apelou aos partidos políticos moçambicanos para sensibilizarem os seus membros e apoiantes para respeitarem a legislação moçambicana.

Combustível contaminado já foi retirado do mercado

O Ministério da Energia, através da directora nacional dos Combustíveis, Felisbela Cunhete, garantiu, ao princípio da noite de ontem, à nossa reportagem, que todo o lote de combustível suspeito de estar contaminado já foi retirado dos postos de abastecimento da cidade e província de Maputo e isolado o stock que ainda estava na posse das distribuidoras no terminal oceânico de Matola.

quarta-feira, outubro 24, 2012

Fazem dinheiro com incúria!

Coisas da nossa terra

Por Edwin Hounnou

Quem passa pelo troço, de quase 140 quilómetros, da estrada entre o cruzamento do Inchope e a cidade da Beira, apercebe-se, de imediato, a quantas o país anda mal conduzido. Quem viaja em viatura própria pode percorrer esta distância em quase 4 horas, andando aos intermináveis zigue-zagues, por vezes, caindo, de repente, em traiçoeiros precipícios.

Fome que não nos larga


Poucos citadinos de Maputo e Matola sabem que o carvão vegetal, que a ele recorrem para preparar as suas refeições, é explorado numa zona onde não há alimentos por cozer nem água para consumo. Indiferentes à sorte dos nativos, animados pelo lucro e insensíveis a questões ambientais, os exploradores de carvão não param de desmatar Chigubo, um distrito a norte de Gaza assolado pela seca. Em muitas localidades não se conhece água potável, ainda que seja possível encontrar nos pequenos charcos que se formam depois de uma chuva rarefeita. Milhares de cabeças de gabo bovino servem como marcador de prestígio: os donos preferem cavar raízes de árvores para se alimentar a vender um animal.

Em pleno campo, na localidade de Zinhane, distrito de Chigubo, numa manhã de Verão que acompanhou a equipa do @Verdade, um charco de água barrenta, inesperado, destoa na paisagem árida que os nossos olhos alcançam. À beira da poça, um grupo de mulheres e crianças aprovisiona água em recipientes de 25 litros. Ao lado, duas dezenas de animais domésticos, entre bois e cabritos, também matam a sede. Ler mais

Paz em Moçambique precisa de ser consolidada - afirma Salomão Moyana

A PAZ no país não está devidamente consolidada, porque ainda prevalecem defeitos como a intolerância e a desconfiança mútua entre os protagonistas do AGP, segundo afirmou, terça-feira, em Maputo, o jornalista Salomão Moyana na conferência nacional sobre “a consolidação da paz e democracia em Moçambique: O papel dos partidos políticos”, organizada pelo Instituto Holandês para a Democracia Multipartidária (NIMD) em parceria com a AWEPA.

Reconciliações

Por Machado da Graça
 
No passado dia 4 assistimos a cenas comovedoras nas comemoraçoes dos 20 anos de Paz em Moçambique.
Estou-me a lembrar, por exemplo, de uma porção de pessoas importantes, de mãos dadas, dizendo Olá Paz.
É verdade que todos os que ali estavam, de mãos dadas, pertenciam ao mesmo partido, enquanto os outros celebrantes da Paz e da Reconciliação o faziam em Quelimane, bem longe de Maputo.

Ensino Superio: servir as massas ou a elite? – questiona Lourenção do Rosário, docente universitário

As universidades constituem espaço da elite estritamente intelectual e académica, por isso a elas devem aceder os mais capazes, porque é com eles que a sociedade deve avançar. Esta foi a tese defendida por Lourenço do Rosário na conferência de dois dias (15 e 16 de Outubro) que discutiu em Maputo o ensino superior em Moçambique e celebrou os 50 anos da sua institucionalização.
 
O docente universitário e reitor da Universidade Politécnica fez notar que a “elitização” dos cidadãos não se opera no espaço universitário onde eles buscam formação, mas fora dele. Ler mais

Afeganistão publica cerca de 200 contratos do sector mineiro Uma lição para Moçambique?

O Ministério dos Recursos Minerais do Afeganistão publicou, no último domingo, cerca de 200 contratos assinados com as mineradoras naquele país, uma iniciativa considerada pelo Centro de Integridade Pública (CIP) como um importante passo e exemplo a seguir na melhoria do quadro de transparência na indústria extractiva, sector permeável à corrupção...

... Em Moçambique um dos principais argumentos usados pelos apologistas do secretismo dos contratos é o de que a publicação dos mesmos pode afugentar as empresas ou criar um ambiente de tensão entre o Governo e as empresas, uma vez que os contratos contêm informação estratégica comercial e concorrencial das mesmas. Leia na íntegra aqui
 
Fonte: Savana – 24.10.2012

O poder do tacho Tudo está bem, quando acaba bem

Por Fernando Manuel
 
Isto para um letreiro para ilustrar as boas obras, em romance, cinema ou telenovelas desde que o mundo é mundo.
O X Congresso - voltámos sempre ao mesmo - da Frelimo começou e acabou, não somos nós nem ninguém que vai ser capaz de dizer se começou bem, se correu bem e muitos menos se acabou mal. Mas parece que tudo está em paz entre os grandes camaradas, tanto assim que, logo a seguir, houve as profundas mexidas que Armando Guebuza fez no governo
.

Mulher contrata ‘bandidos’ para matar marido: PRM distancia-se

A Polícia da República de Moçambique (PRM), na pessoa do porta-voz do comando-geral, Pedro Cossa, distanciou-se das supostas investigações em curso com envolvimento de agentes da PIC, os quais foram filmados secretamente pela STV, denunciando uma mulher que teria contratado dois bandidos para matarem o seu próprio marido.

Responsável por investigar assassinato de mineiros na África do Sul pede desculpas

O responsável pelo inquérito público sobre o assassinato de 34 mineiros pela polícia da África do Sul emitiu um pedido de desculpas nesta terça-feira após um vídeo mostrar que os disparos foram feitos sem aviso prévio.
Familiares das vítimas que participaram na audiência na comissão Marikana gritavam e choravam; alguns tiveram de ser carregados para fora da sala.
Um advogado representando os parentes dos mineiros descreveram o uso da força pela polícia, mostrada por imagens na TV, como "imperdoável e vergonhoso".
A chacina, ocorrida em agosto, deixou o país em choque e desencadeou uma onda de protestos.

Fonte: Rádio Mocambique - 24.10.2012

terça-feira, outubro 23, 2012

AR DEVE TRABALHAR NUMA ESTRATEGIA GLOBAL DE EXPLORACAO DE RECURSOS NATURAIS

O Movimento Democrático de Moçambique (MDM) defende que a Assembleia da Republica (AR), o Parlamento mocambicano, é a única instituição com legitimidade de debater uma estratégia global e integrada de exploração dos recursos naturais no país.

Alberto Vaquina vai hoje ao “baptismo” no parlamento

- O novo PM esteve quase toda a sexta-feira última na bancada parlamentar da Frelimo a receber orientações

O Governo vai esta terça e quarta-feira ao parlamento prestar informações aos deputados e aos moçambicanos, naquilo que será a estreia, na Assembleia da República, de Alberto Vaquina, na sua qualidade de Primeiro-Ministro.
Fonte sénior do partido Frelimo informou ao Canalmoz que Vaquina esteve quase toda a sexta-feira última na bancada parlamentar da Frelimo a receber orientações. Isso porque Vaquina domina pouco o parlamento e o que a Frelimo quer evitar é que o novo delfim do “Grande Líder” Guebuza, passe vexame e se contenha quando a oposição começar a atacar. Ler mais

Combatentes da guerra civil ameaçam manifestar-se perante Presidente

Antigos desmobilizados da guerra civil moçambicana ameaçaram hoje receber, na quinta-feira o chefe de Estado moçambicano, Armando Guebuza, no Aeroporto Internacional de Nampula, Norte do país, com manifestações contra a alegada morosidade no pagamento das suas pensões.

Margarida Talapa saúda “carisma e sabedoria” de Guebuza

A chefe da bancada parlamentar da Frelimo, Margarida Talapa, preferiu centrar grande parte do seu discurso enaltecendo as virtudes do presidente do partido Frelimo e da República, Armando Guebuza.

Ainda na ressaca do Congresso de Pemba, Talapa disse que a reeleição de Armando Guebuza, para dirigir os destinos do partido no poder por mais 5 anos, resulta do “carisma e confiança” que goza no seio dos militantes da Frelimo.

Talapa disse que sob a liderança de Guebuza, “a Frelimo continuará a angariar milhares de membros e a averbar importantes vitórias no campo político, no crescimento da economia nacional, no resgate da auto-estima dos moçambicanos e na projecção de Moçambique como estável, democrático e destino seguro dos investimentos”.

“A Frelimo sai deste congresso revitalizada e mais forte que nunca, determinada, mais uma vez, a assegurar as suas vitórias nas eleições autárquicas de 2013 e nas gerais e provinciais de 2014”, disse parecendo que estava a discursar no encerramento do Congresso, quando estava a falar para os Moçambicanos, no Parlamento. Ler mais

I'mbane: Guimino promete desmascarar funcionários corruptos esta semana

O Presidente do Conselho Municipal da cidade de Inhambane, Benedito Guimino, promete desmascarar, esta semana, todos os funcionários corruptos da edilidade que dirige, porque, segundo assegurou, já tem a lista dos mesmos, escreve o jornal Notícias na sua edição de hoje, terça-feira.
Eleito nas eleições intercalares de Abril passado, em substituição de Lourenço Macul, falecido vítima de doença, Guimino revelou que já chegou a hora de colocar os pontos nos “is” e traços nos “tês”, mostrando ao público, particularmente aos munícipes da chamada “Terra de Boa Gente”, algumas pessoas que comprometem o bom desempenho da edilidade.

Segundo ainda o Notícias, o edil de Inhambane não avançou nomes, muito menos os cargos desses funcionários que minam, através das suas acções, o normal funcionamento do executivo municipal. No entanto, disse que as reclamações populares que davam conta do enriquecimento ilícito de alguns funcionários municipais, obrigou a que o seu executivo levasse a cabo um trabalho de investigação cujos resultados deverão ser divulgados dentro em breve.

segunda-feira, outubro 22, 2012

Valeu a pena o realismo entre as alas para não encalhar o barco…

Os jogos de cintura tendentes a criar equilíbrios políticos e económicos

Por: Noé Nhantumbo

Não é possível deixar-se de reconhecer que a ala política de Joaquim Chissano, jogando com paciência e persistência, não desarmou durante toda a travessia do deserto que se seguiu a ascensão de AEG a presidente da República e da Frelimo.

Só que os combates políticos no seio da Frelimo devem ser vistos numa perspectiva que não sobrevalorize a sua importância para o país nem menospreze o seu valor real para a conjuntura nacional e regional.

É importante aquilo que acontece nos níveis mais altos da nomenclatura da Frelimo sabido que é que ela governa Moçambique. Os emaranhados políticos, as estratégias em jogo, os entendimentos e os desentendimentos ao longo do percurso.

Quem faz oposição em Moçambique tem de estar bem alerta e em consonância como os acontecimentos políticos pois ter um STAE e CNE diferentes depende profundamente do que possa acontecer no seio do núcleo dominante da Frelimo.

MDM Claims systematic Violation of Freedoms

Maputo — The political freedoms guaranteed by the Mozambican constitution are being “systematically violated” across the country, accused Lutero Simango, leader of the parliamentary group of the opposition Mozambique Democratic Movement (MDM), on Monday.

Speaking at the formal opening of the end-of-year sitting of the country’s parliament, the Assembly of the Republic, Simango claimed attempts were under way to silence “criticism and ideals contrary to the government of the day”.

Frelimo contesta praça da paz

Erguida pelo Conselho Municipal de Quelimane

A praça da paz foi erguida pelo Conselho Municipal de Quelimane num local onde ninguém esperava que fosse apreciável. Esta atitude da Frelimo era de esperar, dai que a edilidade diz que nada lhe surpreende, mas o importante é que os munícipes de Quelimane têm uma praça da paz.

A bancada da Frelimo na Assembleia Municipal de Quelimane(AMQ) anda com os nervos a flor da pele. E para mostrar estes seus nervos, aquela bancada enviou já uma carta ao ministério da Administração Estatal (MAE), contestando a construção da praça da paz na cidade de Quelimane, um monumento erguido pelo Conselho Municipal de Quelimane (CMQ), sob tutela de Manuel de Araújo, eleito em 2011.

Começou a confrontação ou simplesmente é uma estratégia baseada na pressão?


Por Noé Nhantumbo

- Onde está o diálogo construtivo?

- Onde encontrar moderação num diálogo de “surdos e mudos”?

O dia em que se assinala a morte em combate de André Matsangaice foi marcado pela deslocação do líder da Renamo para as matas de Gorogosa e a remoção da estátua do primeiro presidente da Renamo, André Matsangaice, na Beira.

Moçambique, país que recentemente comemorou 20 anos da assinatura do Acordo de Paz de Roma parece encaminhar-se para uma incerteza quanto ao seu futuro político.

Uma situação que bem se pode caracterizar de um acumular de vantagens por parte de um dos signatários do acima citado acordo está paulatinamente empurrando o outro para o desespero político. Com um número considerável de ex-guerrilheiros desmobilizados e não socialmente reintegrados, sobre a pressão sobre a liderança da Renamo para que se encontre uma resposta às preocupações de milhares de pessoas que praticamente vegetam no país.

O regresso ao discurso duro e incisivo da liderança da Renamo não é um facto novo mas em abono da verdade é preocupante.

Será que os ex-guerrilheiros estão encostando seu líder à parede?

Da capital, Maputo, não há reacção. Será que o silêncio foi eleito estratégia a seguir? Ou tudo faz parte de uma avaliação mais abrangente que pretende encurralar o líder e eventualmente adoptar-se uma solução como a angolana? O tempo não é para vaticínios mas para a tomada de medidas sérias que preservem a paz e a estabilidade no país. Ler mais

Militares invadem sede do PAIGC, principal partido da Guiné-Bissau

Um grupo de militares invadiu hoje por duas vezes a sede do PAIGC, principal partido da Guiné-Bissau, tendo levado à força Iancuba Indjai, líder do Partido da Solidariedade e Trabalho (PST), disse à Lusa fonte partidária.
De acordo com a fonte do PAIGC (Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde), partido que estava no poder até ao golpe de Estado de 12 de abril passado, os militares, alguns à paisana e outros fardados, entraram na sede do partido dizendo que estavam à procura de pessoas. Ler mais

domingo, outubro 21, 2012

MAPUTO/ “CHAPA” PASSA A CUSTAR NOVE METICAIS

A tarifa dos transportes públicos e semi-colectivos de passageiros vai aumentar para 9 e 7 meticais ( o dólar norte-americanos vale mais de 28 meticais) a partir da ultima semana de Outubro em curso, conforme decisão saída da reuniao do Conselho Municipal da cidade de Maputo esta semana.

Filho mais novo de Kadafi morre em confronto na Líbia

O filho mais novo do ex-ditador da Líbia, Khamis Kadafi, morreu ontem durante um confronto entre as tropas pró-Kadafi e as forças governamentais em Bani Walid, no sudoeste de Trípoli.

O porta-voz do Congresso Nacional da Líbia anunciou que Khamis Kadafi foi morto durante uma batalha em Bani Walid, que provocou pelo menos 13 mortos e 121 feridos, não adiantando mais detalhes.

sábado, outubro 20, 2012

Como forma de pressionar o Governo - Dhlakama na Serra de Gorongosa

Por José Chirinza, nosso enviado à Gorongosa (texto e fotos)

O líder da Renamo, Afonso Dhlakama, acaba de se instalar na Serra de Gorongosa, a sua antiga base central, uma forma encontrada para pressionar o governo da Frelimo a satisfazer às suas reivindicações. Dhlakama, que trocou o luxo e o conforto de uma vivenda em Nampula por uma cabana nas matas de Gorongosa, está acompanhado de um considerável contingente dos seus antigos guerrilheiros.
 
Afonso Dhlakama, que participou esta quarta-feira na Gorongosa nas cerimónias da passagem do 33º aniversário da morte em combate de André Matsangaíssa, primeiro líder da guerrilha, reuniu-se com centenas de guerrilheiros e membros do partido, para explicar as razões das manifestações. Foi então que anunciou que iria permanecer na Gorongosa até que o Governo satisfaça as suas exigências.
No antigo Quartel-General da Renamo na Serra da Gorongosa foram reconstruídas várias cabanas, incluindo a do líder. Não há corrente eléctrica e nem rede de telefonia móvel. Ler mais

CHUMBADA A ABERTURA DE QUATRO ESTABELECIMENTOS DO ENSINO SUPERIOR

Quatro dos cinco pedidos para a abertura de novas instituições do ensino superior em Mocambique foram chumbados pelo Conselho Nacional do Ensino Superior (CNES), por não apresentarem projectos pedagógicos sólidos. O único pedido autorizado a avançar é o que foi submetido pelo Instituto Superior de Gestão, Administração e Educação (ISG), proposto pela Sociedade para o Desenvolvimento da Gestão, SARL.

sexta-feira, outubro 19, 2012

Um professor no distrito

Rafael Fumo saiu de Maputo para dar aulas num local desconhecido. Ou seja, mudou-se de armas e bagagens da capital para o interior da província de Gaza. Actualmente, reside e dá aulas em Dindiza, sede do distrito de Chigubo.

Um dia antes da data que celebra os professores, @Verdade foi ver como é que são as aulas na Escola Primária Completa de Dindiza e depois conversou com Fumo para compreender o seu dia-a-dia naquele ponto do país.

“É complicado”, disse-nos sem reservas. A explicação, essa, veio depois: “aqui falta tudo, desde cadernos às salas de aulas. Desde que a tempestade arrancou as chapas de zinco daquelas três salas (aponta para um edifício sem tecto) que passámos a dar aulas debaixo destas árvores”. Por outro lado, “nem sempre as crianças frequentam as aulas”. Portanto, “sob o ponto de vista de administração de conteúdos, esse é o maior problema.” Ler mais (@Verdade)

Giant Leap for Human Rights in Mozambique?

Analysis (Allafrica)

A recent opinion piece by OSISA's Richard Lee celebrated the fact that Mozambique's National Human Rights Commission (NHRC) had finally become operational - saying that it represented a major boost to the promotion and protection of human rights in the country. And he was right. The Commission is critically important and the fact that commissioners have been given a clear mandate to oversee human rights in the country is cause for cheer. But the applause for the new Commission must not blind people to the major challenges that the institution faces - challenges that could seriously hamper its effectiveness.

País sem raptos e mandantes há dois meses

Passaram praticamente dois meses após o último rapto, e ainda não houve relato de um novo sequestro de empresários ou seus familiares, como também não houve esclarecimento de quem são os mandantes destes crimes.
Apesar do Presidente Armando Guebuza ter prometido ao “Movimento Islâmico” que iria “se envolver acima do normal” no combate aos raptos, até à presente data, a polícia prendeu meia dúzia de jovens “coitadinhos” que foram publicamente exibidos como os operacionais.

Um jovem da oposição num meio hostil


A polémica está lançada e a espalhar-se. Dividiu os funcionários do Serviço Distrital de Planeamento e Infra-estruturas de Chigubo (SDPI) e chegou à Imprensa. Agnaldo Rui Jo Navalha alerta para a “tirania” da administração, exercida sobre os membros dos partidos da oposição.

Ter um emprego, para um jovem que está a começar a vida é o primeiro passo para garantir alguma estabilidade. Porém, para Agnaldo Rui Jo Navalha o emprego trouxe uma sucessão de dores de cabeça. O problema começou quando assumiu que era membro do Movimento Democrático de Moçambique e recusou “o cartão de membro do partido Frelimo”.

Quando chegou a Dindiza, sede distrital de Chigubo, Navalha foi convidado a fazer parte do partido no poder pelos seus superiores hierárquicos. “Disse-lhes que um jovem com a minha idade, vindo da cidade, só podia ter alguma cor partidária ou nunca mais pertenceria a um partido”.

“Criaram depois uma comissão de verificação liderada pelo administrador. Quando chegaram a tal ponto disse-lhes que era membro do MDM. Nessa conversa afiançaram-me que não sofreria qualquer tipo de perseguição, mas deixaram claro que para prosseguir os meus estudos tinha de me filiar ao partido no poder”.  Ler mais (@Verdade)

Theogene Turatsinze estava na mira do esquadrão de morte de Paul Kagame

“As coisas complicaram-se quando os auditores, recentemente, começaram a investigar o Banco, e procuraram ajuda de Theogene Turatsinze. Isto é o que pode ter levado Turatsinze à morte prematura”.

quinta-feira, outubro 18, 2012

“Frelimo está cada vez menos aberta ao diálogo”

Dhlakama muda-se de Nampula e instala-se em Gorongosa.
 
O politólogo Jaime Macuana diz que a mudança de Dhlakama para Gorongosa é uma estratégia política para pressionar, dada a sua facilidade de manipular aquele espaço a seu favor.

Mamparra of the week: Arão Nhancale

O Mamparra desta semana é atribuído pela primeira vez, por distinção, ao edil do município da Matola, o senhor Arão Nhancale.
Sem a dimensão da cultura de Estado de Direito e Democrático, o mamparra desta semana, anfitrião do Fórum Empresarial da Matola, solicitou a retirada, da sala que acolhia o evento, do seu homólogo, Manuel de Araújo, presidente do município de Quelimane, alegadamente (como reporta a Imprensa esta semana, inclusive relatos de amigos do @Verdade que lá estiveram) por a sua presença criar “embaraços ao mais alto nível”.
“Mais alto nível” aqui refere-se à chefia do seu partido, e logicamente dos seus líderes, os senhores Armando Emílio Guebuza e Filipe Paúnde. Terão sido eles que, ao tomarem conhecimento da presença de Manuel de Araújo, ligaram ao Arão Nhancale e ordenaram que colocasse o edil de Quelimane na rua? Ler mais
 
Fonte: @Verdade - 18.10.2012

A revisão da lei eleitoral entra em impasse

O processo da revisão da lei eleitoral está a marcar passo na comissão parlamentar encarregue de velar por esta matéria em Moçambique.
No próximo ano, Moçambique vai realizar eleições municipais e no ano seguinte as gerais, incluindo presidenciais.
O atraso na conclusão da revisão do pacote eleitoral vai afectar o trabalho dos órgãos de administração eleitoral, que terão pouco tempo para organizarem o processo.
Mas os dois principais partidos políticos: Frelimo e Renamo fazem ouvido de mercador - cada um à sua maneira.

Jacob Zuma rejeita frente-a-frente com líder da oposição

Debate público sobre economia sul-africana.

Zille disse que Zuma não se mostrou digno de conduzir o país, na sequência dos crescentes protestos trabalhistas e da deterioração na classificação do país.

RENAMO REAGRUPA SEUS COMANDOS E REACTIVA BASE MILITAR

A Renamo, antigo movimento armado em Mocambique, acaba de reagrupar seus comandos e reactivar a sua pimeira base militar, nas proximidades da serra de Gorongosa, no posto administrativo de Vunduzi, centro do pais. Sao cerca de 800 homens.

Debate Obama e Romney 'o melhor da história do país', diz analista

O espectacular debate na televisão entre Barack Obama e Mitt Romney, na última terça-feira (17), ganhou elogios como um dos melhores da história do país.

Para o influente comentarista político George Will, da rede americana ABC, que assiste debates presidenciais pela TV desde o primeiro, em 1960, entre John Kennedy e Richard Nixon, o segundo embate entre Barack Obama e Mitt Romney foi de longe o melhor da história política do país.

quarta-feira, outubro 17, 2012

Kimberley Rare Earths descobre lítio, tântalo e estanho em Moçambique

A companhia mineira australiana Kimberley Rare Earths descobriu lítio, tântalo e estanho na concessão mineira de Malilóngwe, província de Tete, centro de Moçambique, informou em comunicado a empresa.
A descoberta dos minérios acontece sete meses depois de a firma australiana ter iniciado a prospecção na referida concessão, refere a nota de imprensa.
Segundo a Kimberley Rare Earths, a identificação dos três minérios deu-se numa área de 1,5 quilómetros de comprimento e 500 metros de largura na concessão de Malilóngwe.

Fonte: (RM/Lusa) - 17.10.2012

Supostos membros da Renamo vandalizam estátua de Matsangaíssa

O edil da Beira, Daviz Simango, diz ser inadmissível este tipo de casos e revela intenção de responsabilizar os autores do vandalismo. “Devem ser punidos na base da lei”.

Irmã de Nini Satar foge do País

POLÍCIA COM BATATA QUENTE ÀS MÃOS PARA DETER BURLADORES DE IMÓVEIS

- Depois de um golpe milionário de 500 mil dólares, suspeita-se que se tenha juntado à família em Dubai

A fuga de Rachida Abdul Satar, irmã mais velha de Momade Assif Abdul Satar, o Nini, não vai ajudar muito à polícia na dissipação das zonas de penumbra envoltas às burlas no sector imobiliário moçambicano.

Cinismo e maquiavelismo político

Coisas da nossa terra

Por Edwin Hounnou

Enquanto decorria o X Congresso do partido Frelimo, de 23 a 28 de Setembro, na cidade de Pemba, em Cabo Delgado, a sala repleta de delegados, convidados nacionais e estrangeiros ouviam discursos hipócritas que insinuavam que aí se discutia o aprofundamento do sistema democrático, em Moçambique, enquanto pelas províncias e municípios polícias prendiam, torturavam e encarceravam nas masmorras do regime membros da oposição que não faz a genuflexão ao "glorioso" partido. A nossa democracia está bem escrita na Constituição, porém, ignorada na vida quotidiana.

Moçambique entre os seis piores na África Austral

Índice de Boa Governação-2012

Na categoria de Segurança e Estado de direito, por exemplo, o país está na 17ª posição, tendo descido dos 63 para 53 pontos. No desenvolvimento humano, está no 35º lugar; assistência social, na posição 46. Esta fundação decidiu ainda em não atribuir o Prémio Mo Ibrahim para a Excelência na Liderança africana.

terça-feira, outubro 16, 2012

Administrador de Mavago enforca-se

O administrador de Mavago, Virgílio Alaone, enforcou-se na madrugada de ontem, apurou o “Diário de Moçambique” em Lichinga. Desconhecem-se, contudo, as causas que levaram-no a pôr termo à sua própria vida, senão que foi na sua própria residência.
Virgílio Alaone, antes de ser indicado para dirigir os destinos de Mavago, no ano de 2010, era quadro sénior da Direcção Provincial do Plano e Finanças e ocupava o cargo de chefe do departamento provincial de Orçamento e Planificação.
Fonte: Diário de Mocambique - 16.10.2012

Postura repugnante de certos dirigentes


Vamos abandonar estereótipos e Unidade Nacional verbal, oca e inconsequente…

Por Noé Nhantumbo
 
“Concertar”, “tolerar”, “incluir” são verbos de utilização obrigatória em Moçambique

Aquele modelo de construção de uma pátria moçambicana em que os moçambicanos eram chamados a unirem-se e a engajarem-se nas diferentes frentes, logo após a proclamação da independência nacional, esgotou a sua utilidade porque ao longo dos tempos, ficou claro que a mobilização política era feita em função de objectivos divisivos em si.
Numa situação em que os altos responsáveis políticos e governamentais constituíam uma ilha separada do resto do país, tanto pelas prerrogativas que detinham como pelos direitos que exerciam, deixaram à vista que as pretensões anunciadas pelos políticos mobilizadores eram diametralmente opostas aos interesses da maioria dos moçambicanos.
A unidade apregoada era como arrebanhar cidadãos e coloca-los ao serviço de uma nomenclatura partidária que se colocava acima de tudo e todos. Ler mais

O Conselho Municipal de Manica encerra a Rádio Comunitária Macequece


COMUNICADO DE IMPRENSA SOBRE O FECHO DA RÁDIO MACEQUECE
OS FACTOS

Nos princípios da tarde de ontem, dia 12 de Outubro de 2012, o FORCOM foi informado de que o Presidente do Município de Manica, Sr. Moguem Candieiro, através do uso da força da Polícia Municipal e da Polícia de Protecção, ordenara o encerramento da Rádio Comunitária de Macequece, por sinal propiedade da Associação Comunitária Macequece de Manica (ACOMAM) e membro do Fórum Nacional de Rádios Comunitárias (FORCOM).

FIPAG despede e indemniza delegada distrital do MDM

Nacala-Porto (Canalmoz) – A delegada política distrital do Movimento Democrático de Moçambique, MDM, em Nacala-Porto, quadro senior do Fundo de Investimento do Património e Abastecimento de Água, FIPAG, acaba de ser demitida do trabalho por pertencer a uma formação política diferente da Frelimo.
A informação foi-nos avançada pelo membro da Comissão Política Nacional do MDM residente em Nacala-Porto, Carlos Bernardo, que denunciou a perseguição e intimidação dos membros daquela formação política que trabalham no aparelho do Estado ou em empresas públicas.

Segundo disse o nosso entrevistado, Filomena Nicopue desempenhava as funções de Chefe de Recursos Humanos do FIPAG em Nacala-Porto e a sua mobilidade política desligada da Frelimo valeu-lhe uma indemnização forçada e sem fundamentos palpáveis.

Contudo, em Nacala-Porto a implantação do MDM é já uma realidade incontornável, pelo que o partido conta com 7 mil membros inscritos, 114 sob delegações nos bairros e um número ainda não estimado de simpatizantes. Ler mais

segunda-feira, outubro 15, 2012

MDM elege esta semana delegados ao seu I congresso

Serão conhecidos esta semana os delegados que irão representar a província de Nampula no I congresso do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), a ter lugar em Dezembro próximo, na cidade da Beira, província de Sofala.
Trata-se de 40 delegados que serão eleitos em representação de todos os distritos daquela província, no decurso da reunião política provincial, que terá como palco a cidade de Nampula. O anúncio foi feito pelo membro da comissão política nacional Carlos Bernardo, à margem da reunião distrital de quadros do MDM a nível da cidade de Nacala-Porto.
Bernardo disse, ainda, que a reunião de Nampula tem a particularidade de acontecer pouco depois da sua formação política ter realizado “com sucesso” o processo de divulgação e debate das teses que irão nortear a reunião magna do partido.

Fonte: O País online - 16.10.2012

MOÇAMBIQUE E UNIÃO EUROPEIA REDEFINEM ÁREAS DE COOPERAÇÃO

Moçambique e a União Europeia vão redefinir as áreas de cooperação, anunciou domingo, o vice-ministro dos negócios estrangeiros, Henrique Banze, falando à imprensa moçambicana, em Bruxelas, capital belga, a margem das Jornadas Europeias do Desenvolvimento 2012.

Prémio Mo Ibrahim de boa governação em África sem vencedor

O júri do prémio da Fundação Mo Ibrahim, destinado a distinguir a boa governação em África, decidiu não nomear nenhum vencedor para a edição deste ano, foi hoje anunciado em Londres.

Dhlakama reforça segurança pessoa depois de convocar manifestações para novembro em Moçambique

O presidente da Resistência Nacional de Moçambique (Renamo, oposição), Afonso Dhlakama, anunciou o reforço da segurança pessoal, depois de ter convocado manifestações para novembro pelo alegado incumprimento do Acordo Geral de Paz pelo Governo.

Vice-presidente da CTA quer economia proteccionista

- Agostinho Vuma acusa empresas construtoras estrangeiras de levarem dividendos para seus países

 - Ministro das Obras Públicas e Habitação, Cademiel Muthemba, diz que muitos bancos e empresas de construção estrangeiras colocam condicionalismos nos seus financiamentos

 O presidente da Federação Moçambicana de Empreiteiros, e vice-presidente da Confederação das Associações Económicas (CTA), Agostinho Vuma, diz que Moçambique é o único país a nível da SADC que não protege a sua economia e faz um apelo a uma economia mais proteccionista.

Por seu turno, o titular da pasta das Obras Públicas e Habitação, Cademiel Muthemba, reconhece a situação e diz que a mesma deriva dos condicionalismos impostos pelos bancos e pelas empresas de construção estrangeiras que só aceitam financiar e executar as obras em Moçambique em troca de alguns privilégios. Ler mais

Reflectindo: Então os bancos estão ao serviço de empreendeiros estrangeiros?  

domingo, outubro 14, 2012

Frelimo exige nova postura de paz e inclusão da oposição

A Frelimo exige uma postura diferente ao novo governador da Zambézia, Joaquim Veríssimo, de modo a ultrapassar os atritos que o executivo tem com partidos políticos da oposição, bem como com a população.

NÚMERO DE MESAS DE ASSEMBLEIAS DE VOTO PODERÁ DUPLICAR NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES

O número de mesas de assembleias de voto poderá duplicar nos próximos pleitos caso seja adoptado o projecto de lei eleitoral ora em revisão em sede da Comissão da Administração pública, Poder local e Comunicação Social da Assembleia da Republica (AR), o Parlamento moçambicano.

sábado, outubro 13, 2012

QUARTA COMISSAO ELIMINA O POLEMICO ARTIGO 85 DA LEI ELEITORAL

A Comissão da Administração Pública, Poder Local e Comunicação Social (Quarta Comissão) eliminou o ‘polémico’ artigo 85 da lei eleitoral ora em revisão em sede daquele organismo da Assembleia da República (AR), o parlamento moçambicano.

sexta-feira, outubro 12, 2012

"O massacre a que fez os órgãos de informação do sector público sujeitar-nos, com a permanente imagem e voz de Armando Guebuza, foi responsável por um efeito de saturação de todo prejudicial"

MARCO DO CORREIO

Por Machado da Graça

Olá Timóteo, meu bom amigo

Espero que esta carta te encontre de boa saúde, bem como a tua família. Do meu lado tudo bem, felizmente.

Hesitei muito em te escrever para falar destas mexidas que houve na nossa política. Acho que ainda é cedo para se poderem avaliar as consequências futuras destas demissões e nomeações. Portanto, o que te digo hoje são apenas impressões bastante superficiais e não dissertações “profundas” como tenho lido e ouvido de muitos ilustres comentadores locais.

Planificar, orçamentar e… não cumprir!

A situação deve-se aos elevados desvios de aplicação dos fundos do Orçamento do Estado para acomodar actividades protocolares do Estado, incluindo presidências abertas.

Os três aspectos que travam o pacote eleitoral

Quem deve pertencer à Comissão Nacional de Eleições (CNE); como devem ser designado os seus membros e como deve ser feito o recrutamento dos técnicos do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) são os três aspectos que retêm a aprovação do pacote eleitoral.

Provedor de Justiça de Moçambique é confrotado com a ‘protesto’ de deputada portuguesa

O recém-eleito provedor de Justiça de Moçambique, José Ibraimo Abudo, que visitou Lisboa a convite do homólogo Alfredo José de Sousa, prometeu tentar resolver os impedimentos ao exercício da advocacia a portugueses que procuram estabelecer-se em Maputo e são recusados pela Ordem dos Advogados.

Save de Children “resgata” 23 raparigas menores casadas com um curandeiro

Vinte e três menores foram "resgatadas", no distrito de Massinga, Inhambane, pela organização Save the children. As raparigas haviam sido forçadas a casarem-se com um curandeiro local.

quinta-feira, outubro 11, 2012

Boçalismo (às vezes) veste toga de jurista em Moçambique: ‘o paradigma ucuchoniano.’

Por Johnny Kraveirinya


«MOÇAMBIQUE: TRIBUNAL ‘CONFUNDIU VINGANÇA COM JUSTIÇA’»

Foram estas as parangonas no passado dia 27 Julho 2012, sobre o causo do jornalista Falume Chabane.
Na realidade seria mais adequado dizer - ‘caso ucuchoniano de vingança pessoal em tribunal, e ganância por dinheiro’ protagonizado por um advogado moçambicano (a serviço de egoísmos estrangeiros) contra a solidariedade de outro moçambicano, por uma criança deficiente, no exercício da sua profissão de jornalista. Segundo o MISA (Media Institute of South Africa), injustiça foi feita pois “tribunal confundiu vingança com justiça.”
Em que compêndios de direito civil esse juiz terá aprendido? Será que dorme tranquilo? No Brasil, apesar de tudo o mais há juízes e advogados presos por vários delitos entre eles de corrupção ativa e passiva. Para isso servem os Conselhos Superiores de Magistratura ou Conselhos Superiores de Justiça entre outros órgãos judiciais supremos.
Em Moçambique será que os juízes nunca erram e estão acima da lei que deviam defender com equilíbrio? Como em tudo na vida há os bons e os maus. Quero acreditar que nem todos são injustos pois deve haver bons juízes em Moçambique.

In O Autarca – 10.10.2012




Membro da Frelimo foge com dinheiro de ajudas de custo em Quelimane

Um membro da Frelimo na Assembleia Municipal de Quelimane (AMQ), no município da mesma cidade, sumiu com o dinheiro de ajudas de custos pagos para suportar as despesas de deslocação ao município de Nacala, província de Nampula, numa troca de experiência entre os membros da Assembleia de Quelimane com os daquele município de Nampula.
Trata-se de Celso Malua, da bancada da Frelimo na AMQ, por sinal, secretário do mesmo órgão deliberativo na autarquia de Quelimane.
Segundo o Diário da Zambézia, Celso Malua, recebeu um valor de 11.900 meticais, valor que iria suportar as suas despesas durante o período em que ele e os seus colegas iriam efectuar visita de troca de experiência a Nacala.
Só que depois de Malua ter recebido este valor, sumiu das vistas dos colegas e no dia de partida ninguém conseguia falar com ele. Até este momento, segundo as fontes do DZ, Celso Malua, membro da Frelimo e Secretário da Assembleia Municipal de Quelimane, ainda não disse nada sobre esta “gazeta” que fez, mesmo sabendo que já teria recebido os valores dos munícipes de Quelimane. Ler mais (@Verdade)

Norte-coreano detido com milhares de Dólares norte americanos e pontas de marfim no aeroporto de Mavalane

Um cidadão norte-coreano foi surpreendido pela Autoridade Tributária (AT) na posse de 133,3 mil dólares norte americanos e 130 unidades de pontas de marfim ( 3 quilogramas), na manhã desta quinta-feira (11) no aeroporto internacional de Mavalane, na capital moçambicana.
Segundo um comunicado da AT, o referido cidadão, identificado como Jong Guk Kim, foi surpreendido pelas Alfândegas em trabalho rotineiro de fiscalização no Aeroporto Internacional de Mavalane quando tentava embarcar para Coreia do Norte com uma escala prevista na vizinha África do Sul. Ler mais (@Verdade)